quinta-feira, 10 de abril de 2008

Agradeço-te.

Trago-te no riso enterrado, nas lágrimas que me lançaste, escadas de incêndio para a sabedoria da felicidade, na pele escaldada pelo brilho da noite, depois do mar.

Às vezes acontece que, devido à impaciência, perdes muitas coisas.